assinar: Posts | Podcast

O que vimos da copa… até agora

0 comentários
O que vimos da copa… até agora

Bem amigos da Loserlândia! É na rua, no trabalho, na internet, até no motel só se fala de uma coisa: Copa do Mundo! Quem nunca viu futebol na vida, agora está vendo e tecendo comentários maravilhosos sobre esquema tático e linha do impedimento. E por acaso vocês acham que íamos ficar de fora? Quaaaaaase… Deixamos toda a primeira fase da competição passar para contar para você o que achamos dessa tão falada competição. Leia nossas opiniões e haaaaaaaaaaja coração, amigo!

GrupoA

O que falar do grupo do Brasil? Um monte de coisas, ué! A começar que o jogo inaugural contou vários elementos que tem tudo a ver com a Loserlândia. Desde a cerimonia de abertura com a Cláudia Leitte vestida de Galinha Pintadinha, até o primeiro gol da copa que foi contra (que vacilo, Marcelo!). Os destaques do grupo nas 3 rodadas foram o Neymar (claro! Como não!?) e o goleiro do México, o Ochoa, que mesmo estando sem clube e também sem moral pegou tudo e mais um pouco, principalmente no jogo contra o Brasil. O cara só tomou um gol e mesmo assim com o jogo decidido. Agora, as decepções ficaram por conta das seleções eliminadas de Croácia e Camarões. Não por terem sido eliminadas, isso é do jogo, mas pelas posturas, né. A Croácia com aquela choradeira por conta do penalti no primeiro jogo e pela pancadaria que distribuiu no último. E Camarões foi pior. Além de jogar muito mal, teve jogador saindo no braço durante o jogo e o Eto’o, que além de ser pior do que o Obina, veio aqui passear. Andou no primeiro jogo e depois só assistiu os jogos do banco. Coisa feia, seu Samuel! De modo geral foi um grupo legal de assistir. Muitos gols e partidas bem legais. Até a que não teve gol foi boa!

GrupoB

Vamos combinar que ninguém achava que a Austrália poderia surpreender nesse grupo, né? Pois não surpreendeu. A grande novidade (e nem tanta assim, vide França em 2002 e Itália em 2010) foi a eliminação precoce da atual campeã Espanha, que tomou um chocolate caprichado da Holanda e aprendeu com o Chile quem é a verdadeira “La Roja”. A Holanda, por sua vez, é aquela coisa de sempre: joga muito na primeira fase mas daqui a pouco entrega. Por isso, estamos só esperando, laranjinhas! Ah, e enquanto você lê isso, um triste zagueiro espanhol, chamado Piqué, é amparado pelo colo quente de sua esposa, uma tal de Shakira. Quem é que estaria chateado? Waka Waka, diria o Fozie (ou a própria Shakira, não sei).

 

GrupoC

Nos recusamos a tecer qualquer comentário sobre um grupo que teve um time como a Grécia se classificando pras oitavas de final!

 

GrupoD

A sede da Loserlândia quase veio a baixo com esse grupo. Enquanto estavam todos discutindo quais seriam os dois campeões mundiais que passariam para a próxima fase, o patinho feio do grupo, a Costa Rica, venceu o Uruguai de Lugano (e sem Suárez) e despachou também a Itália com um golzinho só, mas que foi o suficiente para, de uma vez só, classificar o time da Concacaf, eliminar a Inglaterra de Rooney e colocar frente a frente Itália e Uruguai, brigando pela última vaga. O que nos rendeu o momento mais inusitado da primeira fase da Copa das Copas: um esfomeado Luiz Suáres (que havia sido o herói da vitoria sobre a Inglaterra) mordeu o coleguinha Chiellini, obrigando a FIFA a dizer: “ai ai ai, menino mau. Vai ficar de castigo”. O que nos leva a pensar que a FIFA é muito bacana, né? preocupada com o comportamento e a saúde física e mental de seus atletas. Poxa, como a FIFA é justa e correta, né?

 

GrupoE

Não precisava ser um grande entendido de futebol pra imaginar que, ao olhar os países desse grupo, só veríamos um festival de caneladas e partidas medíocres. Sabe de nada, inocente! Na partida inaugural, uma virada sensacional da Suiça pra cima do Equador e depois um festival de gols da França nos dois primeiros jogos. Honduras foi aquele time bacana que não incomodou ninguém, fez só um golzinho no Equador e olhe lá. Equador que depois que perdeu a partida de estréia, jogou no piloto automático e não meteu medo em ninguém. O destaque, de longe, foi o Benzema que precisou fazer 5 gols pra valerem 3, já que um acabaram creditando como gol contra do goleiro e o outro o juizão terminou a partida enquanto ele chutava no gol.

 

GrupoF

A velha história do venceu mas não convenceu pode ser dita sobre a campanha da Argentina na primeira fase deste grupo. O mesmo não se pode dizer de Messi, que foi decisivo nas três vitórias dos caras (principalmente no jogo chatíssimo contra o Irã). Messi, a exemplo de Neymar, vai assumindo o protagonismo numa seleção excessivamente dependente dele. Se vai ter cacife pra chegar a uma final, aí já é outro papo. A Bósnia, que era a segunda força do grupo, só mostrou mesmo os dentes no último jogo, quando não tinha mais chance nenhuma. A Nigéria, a outra classificada não foi nada além do que uma brisa daquilo que um dia já foi o “alegre” futebol africano. O grupo valeu pela repórter de TV chamando o Dzeko de Diego. Momento ímpar!

 

GrupoG

Nem um roteirista de cinema teria criado uma história tão incrível como foi a do grupo G. Logo no primeiro jogo Portugal ganhou o troféu de jogo mais loser da Copa! De uma só vez tiveram o zagueiro expulso, o lateral e o centro-avante contundidos para o resto da competição e ainda tomaram uma sapatada de 4 a 0 da Alemanha. Aí o time de Gana faz duas partidas super emocionantes contra EUA e Alemanha, deixando todo mundo com aquela idéia de que agora a África trouxe um timão pra copa. Mas na véspera do jogo final pra decidir a classificação contra Portugal, os jogadores saíram no braço com os membros da delegação por conta do dinheiro da premiação e acabaram perdendo e saindo da Copa. Melhor pros EUA que mesmo com um saldo de gols zerado passou pra outra fase.

 

GrupoH

A curiosidade envolvendo o grupo era pela Bélgica, que todo mundo elogia demais e diz que é o time do vídeo-game. O fato é que os “belgicanos” não foram nada disso nos três primeiros jogos e mesmo com um futebol burocrático conseguiram os 9 pontos. A Rússia decepcionou e vai ter que esperar a próxima Copa chegar, em casa. Outro destaque do grupo é que foi graças a ele que eu, um simples estagiário, consegui uma brecha pra escrever nesse site, já que o Roberto, que ficou de fazer a cobertura desse grupo, está até agora bebendo todas cantando seu amor pelo futebol argelino (e por jogadoras de vôlei do mesmo país) e gritando no meio de uma movimentada avenida “Ô Alemanha, pode esperar. A tua hora vai chegar”. Argélia que foi o primeiro time africano a marcar quatro gols em uma partida de Copa do Mundo, em seu jogo contra a mais do que nunca fraquíssima Coreia do Sul.