assinar: Posts | Podcast

Memória loser: Adoniran Barbosa

0 comentários
Memória loser: Adoniran Barbosa

Há 103 anos nascia João Rubinato, o criador de Adoniran Barbosa, magistralmente interpretado por ele mesmo em toda a sua vida artística.

(na verdade, Adoniran nasceu em 1912. Mais tarde, para poder trabalhar em uma fábrica aos 10 anos de idade, sua certidão de nascimento foi alterada para 1910).

Adoniran, que também era ator, não era um simples sambista que fazia sucesso por suas músicas engraçadas e jeito peculiar de falar. Sua obra, tardiamente reconhecida, assim como a de Cartola no Rio, é o relato fiel das porradas que o povo toma todo dia, seja do governo (Despejo na Favela, Torresmo à Milanesa), da mulher amada (Malvina, Apaga o Fogo Mané), dos amigos (Samba do Arnesto) e até mesmo da natureza (Aguenta a Mão, João).

Por isso, para o que sua figura representa para o samba no país, a reverência que se faz a ele é até pouca. Adoniran é mais do que um dos símbolos máximos do samba paulista e uma das maiores marcas da identidade cultural do paulistano, é o retrato de uma parcela significativa de brasileiros.

Abaixo, vídeo completo de Adoniran no Programa Ensaio, gravado e exibido em 1972

Aqui, uma reportagem em que ele afirma, entre outras coisas, “eu sou triste”.

Aqui, com Elis Regina (no final, ele simplesmente a leva pra passear pelo Bixiga):